Eu estava indo para frente, aproximando-me de um futuro onde eu pensava que meus negócios estavam seguindo. Eu estava desenvolvendo cursos para escaladore(a)s, veteranos e empresas, além de criar uma rede global de treinadores e locais de treinamento para oferecê-los.

De repente, essa pandemia aconteceu.

Minha marcha para a frente foi interrompida. Todos os cursos foram cancelados, uma fonte significativa de renda, necessária para administrar o negócio, foi anulada. O que eu devo fazer? Tenho certeza de que você está em uma situação semelhante.

Avançar em direção a uma meta cria uma visão de túnel. Isso é necessário para conseguir qualquer coisa na vida. Precisamos restringir nosso foco para tomar decisões e tomar ações que nos movam nessa direção. Mas quando ocorrem crises que interrompem o movimento para a frente, precisamos de um tempo para parar e olhar em volta, em vez de lutar com a realidade da situação. Parar nos permite ampliar nosso foco, olhar em volta para avaliar a situação e tomar novas ações.

Em seu livro, The Code of the Warrior, Rick Fields diz que

“tempos de crise invocam o guerreiro.”

Cada um de nós precisa encontrar o guerreiro dentro de nós para enfrentar essa crise. O que nós fazemos? “Invocar o guerreiro” nos pede que pensemos de maneira diferente, como os guerreiros. Uma ótima maneira de pensar de maneira diferente é usar uma ferramenta que chamamos de PDO (Problema, Desafio, Oportunidade). Enquadramos a situação fazendo três perguntas. Nossas respostas revelam como pensamos e que ações podemos começar a tomar. Deixe-me usar minha própria situação para mostrar essa ferramenta.

  1. Primeiro, pergunto: “Qual é o maior problema que esta pandemia está apresentando à minha empresa?” O maior problema é a falta de renda devido a cancelamentos de cursos.
  2. Em segundo lugar, pergunto: “Qual é o maior desafio que esta pandemia está apresentando à minha empresa?” O maior desafio é como manter os fluxos de receita para financiar os negócios.
  3. Terceiro, pergunto: “Qual é a maior oportunidade que esta pandemia está apresentando aos meus negócios?” A maior oportunidade é buscar novos fluxos de receita que não dependam do ensino pessoalmente, como treinamento remoto (ou à distância).

O que você nota sobre essas perguntas? Será que é realmente a mesma pergunta, feita três vezes? Bem, sim e não. Sim, elas são basicamente a mesma pergunta e não, as respostas que obtemos delas são muito diferentes. Quando enquadro a pergunta como um problema, concentro-me no que não tenho: receita. Penso passivamente: os cursos são cancelados, o que diminui minha receita. Eu me concentro em como a pandemia interfere em como tenho feito negócios. Isso pode me levar a pensar em como recuperar a situação normal, de volta à forma como eu normalmente venho gerando receita.

Quando coloco a questão como um desafio, começo a pensar mais ativamente e minha atenção se volta para como manter os fluxos de receita. O “como” é orientado para a ação e começa a abrir minha mente para opções diferentes da antiga maneira de fazer negócios.

Finalmente, quando coloco a questão como uma oportunidade, penso ativamente em novos fluxos de receita para financiar os negócios, como treinamento remoto. Meu pensamento muda para me engajar voluntariamente, mesmo ansiosamente, com a situação de crise. Penso em como criar um novo normal, não reconstruindo o antigo.

Essa mudança de problema para oportunidade é o que distingue os guerreiros das vítimas. Os guerreiros são treinados para avançar em direção à ameaça, ao estresse e à crise. Eles são os protetores da sociedade, para servir a um propósito maior que eles mesmos. “Oportunidade” ajuda você a pensar como os guerreiros, para que você possa avançar nessa crise, extrair as lições de aprendizado e criar um novo ‘normal’.

Além disso, servimos algo maior que nós mesmos. As empresas precisam servir o mundo através dos produtos e serviços que eles criam e fornecem. É fácil perder isso de vista quando os cursos estão sendo vendidos e as vendas estão aumentando. Nós nos concentramos na venda e em como obter mais lucro. Se esse fluxo de vendas/lucros for interrompido, temos um problema. As crises nos lembram que trabalhamos principalmente para servir e, secundariamente, para realizar vendas/lucros. Servir aos outros nos dá uma razão de existir. Se perdermos de vista o serviço, perderemos nossa razão de existir.

Como indivíduo, você também serve algo maior que você. O que é isso? E quanto aos relacionamentos, à comunidade de escalada e ao mundo do qual você faz parte? Como essa pandemia pode te ajudar a entrar em contato com o serviço, em vez de como você viveu sua vida até agora?

Talvez as coisas voltem ao normal anterior, mas provavelmente haverá um novo normal ao qual precisamos nos adaptar. Qual será esse novo normal? Pensar como os guerreiros, que encaram as crises como oportunidades, te ajudará a descobrir.

Dica prática: qual é a oportunidade no problema?

Pense como os guerreiros, procurando a oportunidade. Faça essas três perguntas e veja como o seu pensamento muda para um envolvimento mais ativo. Você se verá caminhando em direção à crise da pandemia para criar um novo normal para você.

  1. P: “Qual é o maior problema que esta pandemia está me apresentando?”
  2. D: “Qual é o maior desafio que esta pandemia está me apresentando?”
  3. O: “Qual é a maior oportunidade que esta pandemia está me apresentando?”

Leave a Reply