Na lição passada nós enfatizamos a importância de treinar de uma forma que nos ajude a processar o estresse. Outro conceito que é útil para entender o estresse é a lei universal da energia: a energia flui pelo caminho de menos resistência. Ou, a energia move em direção do que é mais fácil. Precisamos nos alinhar com esta lei de tal forma que possamos desenvolver a atenção consciente.  

A forma típica de treinar é motivada em direção ao que é mais fácil para atingir um resultado final. Ela foca no conforto que vamos vivenciar quando atingirmos tal resultado final. Está focado em rapidez, para chegar ao fim rápido; e barulhento, para criar distrações para a mente para que não soframos tanto estresse.

Por exemplo, considere uma academia típica de malhação. A ênfase está em fazer muitas repetições, rapidamente. Com isso, musica alta esta tocando para “motivar” os participantes e para dar a mente algo em que se focar, para que ela possa ignorar o estresse. Esta abordagem rápida e barulhenta acrescenta camadas que cobrem a atenção consciente. Está focada em “o fim justifica os meios”. Em outras palavras, usamos qualquer maneira para atingir o resultado final.

Precisamos diminuir a velocidade e sermos silenciosos para nos tornar mais atentos. Todos fazemos isto por outras coisas que são importantes para nós. Fazemos silencio quando rezamos; dividimos um momento de silencio para honrar alguém que faleceu; nós deveríamos estar em silencio quando escutamos aos outros. O silencio equivale a importância, respeito e atenção. Precisamos aplicar esta abordagem a tudo que fazemos para poder melhorar nossa habilidade de perceber camadas sutis de atenção consciente.

Um dos exercícios que fazemos em nossas clinicas é manter-se na pose 2 de yoga do Guerreiro por três minutos. Manter-se nessa pose todo esse tempo cria estresse. A intenção do exercício é focar nossa atenção em respirar, relaxar e manter a pose com qualidade. “Qualidade” simplesmente significa que mantemos a pose em sua forma correta, usando apenas a quantidade de energia necessária.

Precisamos entender como um exercício como este nos ajuda a nos tornar mais atentos. Tornar-nos atentos é um processo de ‘descascar’ camadas de informação falhas. Nós descobrimos essas camadas prestando atenção nas sutilezas. Portanto, para manter a pose de yoga, por exemplo, precisamos descascar as camadas que interferem com o ato de segurar a pose com qualidade.

Existem camadas sutis físicas e mentais que cobrem nossa atenção. Nossa tendência é contrair sob estresse. Fisicamente, precisamos nos tornar cada vez mais atentos da qualidade de nossa respiração, relaxamento e postura quando estamos estressados. Notamos a sutileza de nossa respiração. Ela é profunda, continua e regular? Sob estresse ela será rápida e irregular. Também notamos uma tensão sutil nos músculos. Estamos exercendo alguma tensão desnecessária? Notamos nossa postura. Ela está contraindo, ficando côncava? Se sim, fazemos ajustes sutis para manter a pose corretamente.  

Também nos contraímos mentalmente quando estamos sob estresse. A contração mental envolve o uso de truques para evitar o estresse. Por exemplo, ao segurar a pose de yoga, alguns alunos dizem pensar em alguma musica ou focar em algum lugar em sua frente para diminuir o estresse. Fazer isso torna as coisas mais fáceis para a mente, mas distrai a atenção de perceber as sutilezas. A atenção está na musica ou no lugar e não nas sutilezas do que estamos fazendo.  

A contração voltará quando estivermos estressados. A respiração ficará mais superficial, os músculos ficarão tensos e nossa postura se tornará côncava. Estas são as camadas cobrindo nossa atenção consciente. Toda nossa atenção é necessária para notar as contrações sutis, para que possamos redirecionar nossa atenção para respirar adequadamente, relaxar e manter a postura corporal.

A atenção consciente requer silencio e baixa velocidade. Exercícios de Qi Gong e Tai Chi são lentos e silenciosos, com atenção na respiração, relaxamento e movimentos lentos. A ênfase está em achar a forma mais fácil de fazer o processo, não em como atingir o resultado final. A lei universal da energia se manifesta nos processos de respiração, relaxamento e movimentos corporais. Respiração continua, relaxamento contínuo e postura adequada é o que é mais fácil em cada momento. Manter o silencio e mover-se lentamente enfatiza que o meio, ou processo, é um fim em si mesmo. Fazemos o exercício pelo prazer de faze-lo. 

Há um outro ponto importante aqui: a atenção precisa estar focada no que podemos controlar. A abordagem rápida e barulhenta foca a atenção no resultado final futuro. Não podemos controlar o que está no futuro; apenas podemos controlar o que ocorre no presente. O que ocorre no presente são os processos, não os resultados finais. A energia não segue o caminho de menos resistência no futuro; ela faz isso no presente. Aliás, tudo ocorre no presente; nada ocorre no futuro. “Futuro” é simplesmente uma construção da mente. Se queremos ser efetivos e atentos, então precisamos manter nossa atenção no presente, nos processos que podemos controlar.

Ao focar na respiração, relaxamento e na postura corporal apropriada, deixamos a energia fluir por nossos corpos da forma mais fácil. A mente permanece calma e atenciosa. Se fazemos silencio e nos movemos lentamente, perceberemos camadas sutis de tensão quando elas ocorram. O modo rápido e barulhento não nos ajudara a perceber a tensão. Com o silencio e os movimentos lentos podemos trazer importância e atenção a todos os aspectos de nossas vidas.

Dica Pratica: O Guerreiro 2

Fazer um exercício em silencio te ajuda a desenvolver atenção consciente de sua respiração, tensão excessiva e postura corporal. Segure a pose de yoga do guerreiro 2 de duas formar para desenvolver a atenção sutil. Segure-a por 3 minutos cada vez.

  • Rápido e barulhento: Ligue a TV para criar barulho. Foque no resultado final e coloque o cronometro onde puder ve-lo. Foque em quanto tempo falta para acabar.
  • Lento e silencioso: Descanse um pouco e depois realize a pose novamente do lado contrario. Desligue a TV e qualquer outra distração sonora. Estabeleça a intenção de focar sua atenção na respiração continua pela barriga, relaxar e na postura corporal correta. Mova seus ombros lentamente para trás e para baixo. Ligue o cronometro (ou timer) mas coloque-o aonde você não consiga ve-lo. Quando perceber que você esta se perguntando quanto tempo falta, redirecione sua atenção para a respiração, relaxar e postura correta. Tenha prazer de estar no estresse. Compare as duas experiências:

O que você percebeu sobre sua respiração?

Aonde você notou tensão?

Você conseguiu relaxar a tensão?

E sua postura corporal?

Ela se tornou côncava com os ombros subindo?

Qual foi mais fácil, mais prazerosa?

Leave a Reply