IMG_1364-w800-h600

Audio_eLesson_2013-1202 (Em inglês)

Uma vez, havia um estudante que procurou um mestre para que este lhe ensinasse a arte do manejo de espadas. O mestre aceitou e logo deu ao seu aluno uma vassoura e várias tarefas servis, como varrer o chão, lavar a louça, etc. Isto seguiu por um mês. Então, um dia o mestre surgiu pelas costas do aluno e bateu nele com um pau. O aluno ficou surpreso e achou que este era o convite do mestre para começar a aprender a arte das espadas. Porém, o mestre simplesmente lhe disse para continuar com seus deveres. Por muitos anos, este cenário se repetiu: o estudante estaria ocupado com um serviço, esperando que o ataque do mestre venha de um lado e então o ataque viria de uma direção totalmente diferente. Um dia, o mestre surgiu às escondidas do aluno e o atacou, mas o aluno se virou rapidamente e bloqueou o golpe. O mestre disse então: “Agora, seu treinamento pode começar.”

Esta parece ser uma forma estranha de se ensinar. No entanto, sua abordagem prioriza o mental sobre o físico. O mestre sabia que ele precisava ter a atenção do aluno no momento para aprender as habilidades físicas da arte do manejo de espadas efetivamente. No começo, o aluno não teria sua atenção voltada para o momento. O mestre sabia disso pois todos nós tendemos a criar expectativas que focam nossa atenção em resultados finais que ocorrem no futuro, em vez de processar o que ocorre no presente. O estudante tinha sua atenção focada no que ele esperava que iria acontecer, e não no que estava acontecendo de fato. O mestre o golpeou pelas costas para que o aluno esperasse que o próximo ataque viesse por trás e focasse sua atenção naquela direção. Então, o próximo ataque viria da direita. O aluno então espera o próximo ataque pela direita e ele vem da esquerda.

O problema é que a expectativa do aluno em relação à direção do ataque foca sua atenção naquela direção. Intenção é atenção focada na direção de uma escolha. O aluno escolheu focar sua atenção na direção de sua expectativa: o resultado final de aonde ele achava que o ataque iria ocorrer. Depois, quando o ataque vinha de uma direção diferente, ele tinha que retirar sua atenção de onde ele a havia direcionado e redirecioná-la para outra direção. Isto leva tempo, o que o torna ineficaz. Apenas quando ele desiste de criar expectativas ele consegue focar sua atenção nos processos. Isto cria uma intenção que sustenta o que está acontecendo no momento e lhe permite responder em qualquer direção de onde o ataque se origine.

O livro Guerreiros da Rocha (Warrior’s Way) ensina aos alunos processos específicos que mantêm sua atenção no momento para que eles possam responder efetivamente. Quando eles tomam uma decisão de escalar, eles focam a atenção nos processos corporais para a escalada: respiração, movimentos e contato visual. Esta decisão alinha sua atenção na direção da escalada, focada na escalada em si, e cria uma intenção poderosa. O aluno da arte das espadas precisa ter sua atenção em quaisquer processos com os quais ele estiver comprometido para que ele possa responder a um ataque de qualquer direção. O escalador precisa ter sua atenção nos processos que ele está realizando para a escalada para que ele possa responder instantaneamente para resolver o problema de escalada de qualquer direção que for preciso.

A maioria dos escaladores começa uma escalada e espera que ela saia da forma que ele quer. Os Guerreiros têm uma intenção em como eles se comprometem na escalada. Quando eles tomam a decisão de escalar, eles alinham sua atenção com os processos da escalada, o que cria uma intenção poderosa. Com isso, os guerreiros estão comprometidos no momento presente para que eles possam responder efetivamente.

Ensinar como fazer uma habilidade fisicamente é importante, mas o mestre sabia que refinar a abordagem mental do aluno da arte das espadas era primário. Uma vez que a abordagem mental está refinada, as habilidades físicas são aprendidas mais rápida e efetivamente.

Share on Facebook

Leave a Reply